opiniões

Não existem dois relógios que concordem com a medida da serena extensão que minuciosamente medem. Cada qual conta a sua rigorosa e solitária conta .... até que se lhe termine o alento.

O Tempo, em silêncio, continua, não se importa.

(...... até que se lhe termine o alento – Franz Kafka: Uma Cruza.)

 

vertiginoso

ou lento

o tempo

de indiferente

passo

que vai

ou vem

no círculo exato

de qualquer sol

ou sombra

a urdir

a extensão

do que foi

e do que será

 

quantas coisas

quantos medos

quantas certezas

quantos sonhos

quantas vergonhas

 

há que discernir outra flor musicada

um cravo azul na lapela

(cra vi cór dio ou cor ação)

já não sei, ou não me lembro

já sonhamos vagos mundos

e o que daí decorre

a alma

a alma sabe como somos sós

 

é dia quinze

e não há estrelas

não sabem da morte

mediram a vida

e o tempo transpira

cansadas memórias

fluida areia

severas sombras

gotas caindo

 

quisera ser o último, já que não fui o primeiro, nem os outros

 

contato  biblioteca  discussões  digressões  ensaios  rubaiyat  contos  textos  poemas  conexões  ao cubo