gérberas

 

Eu chego

e trago gérberas róseas e cravos brancos.

Arranjo-os no bule de alumínio

que herdei de minha mãe e que antes

me servira como chaleira.

Debaixo,

a mesa redonda

de jacarandá sobre o tapete

lindo

bordô, cheio de pêlos

dos gatos de lá.

A cama é minha

Mara Cunha

 

 

contato  biblioteca  discussões  digressões  ensaios  rubaiyat  contos  textos  poemas  conexões  ao cubo